Skip to content

Museu da Liturgia: único da América Latina

29/05/2012

Minas Gerais possui museus muito especiais, alguns que na América Latina ou no mundo só são encontrados aqui. Este é o caso de mais um museu que acaba de ser inaugurado na linda cidade de Tiradentes. Trata-se do Museu da Liturgia, o único dedicado ao tema na América Latina e espaço privilegiado para a celebração da intensa devoção religiosa da cidade e de sua região.

O Museu da Liturgia está localizado em um dos casarões mais lindos e tradicionais da cidade - Foto: Jomar Bragança

O Museu da Liturgia está localizado em um dos casarões mais lindos e tradicionais da cidade – Foto: Jomar Bragança

O acervo é composto por mais de 420 peças dos séculos XVIII a XX, completamente restauradas, o acervo apresenta pinturas, ex-votos, esculturas e imagens, objetos em metal e madeira, paramentos, missais e outros objetos religiosos confeccionados com uma ampla diversidade de técnicas e materiais. Guardadas em sacristias durante longo período, algumas estavam em estado avançado de deterioração, especialmente a prataria e as peças em estanho. O Museu conta também com instalações audiovisuais, terminais multimídia e um amplo programa educativo.

O Museu é composto por um rico acervo com mais de 420 peças dos séculos XVIII a XX - Foto: Jomar Bragança

O Museu é composto por um rico acervo com mais de 420 peças dos séculos XVIII a XX – Foto: Jomar Bragança

Liturgia – do grego leitourgia – significa originalmente a reunião de pessoas em torno de obras ou ações dirigidas ao mundo público ou sagrado. O Museu, ultrapassando o universo estritamente eclesiástico, estabelece relações entre elementos que, fora do contexto familiar do templo, estimulam o visitante a imergir em suas próprias informações e crenças, em seus recursos afetivos e em seu acervo de experiências.

Em um ambiente de suspensão e reflexão, o visitante experimenta o encontro entre a dimensão do sagrado, do próximo e da comunidade em que vive. Estruturado em torno de quatro eixos museológicos – Rito; Sacramentos e sacramentais; Ano litúrgico e Devoção popular –, o Museu destaca os sentidos cultural e histórico das liturgias católicas. Aqui, a liturgia é retirada do domínio exclusivamente clerical, para realçar o sagrado que está presente nas relações do cotidiano.

O Museu ultrapassa o universo estritamente eclesiástico e leva o visitante a reflexão. Foto: Jomar Bragança

O Museu ultrapassa o universo estritamente eclesiástico e leva o visitante a reflexão. Foto: Jomar Bragança

Os Percursos do Museu

O Pátio Externo conduz à reflexão própria da Quaresma e à alegria e expectativa que caracterizam o Advento. Entrada e saída do Museu representa os ritos iniciais e finais da missa, em que Deus reúne e envia seus fiéis, respectivamente. No muro de pedra, uma instalação sonora oferece uma audição recolhida de trechos bíblicos, salmos e provérbios. Antes do encontro com as palavras, ações, ritos, devoções e objetos litúrgicos no interior do Museu, o Pátio acolhe e convida ao encontro com o outro, com as cores da natureza e com as experiências e histórias que podem ser compartilhadas ao redor de uma mesa.

No Hall de Entrada, o piso em mosaico alude aos tradicionais tapetes de serragem confeccionados para algumas celebrações religiosas e culturais locais. As imagens de devoção popular apresentadas em uma tela que ocupa toda a extensão vertical da parede estabelecem a relação do litúrgico com a comunidade que lhe dá sentido, combinando as dimensões do público e do sagrado através da vida dos homens em reunião e comunhão com seus corpos, atos, obras e palavras.

Ainda no térreo o visitante seguirá para a sala Liturgia da Palavra, dedicada aos ensinamentos de Deus e àqueles que os difundiram. Nela estão expostas as peças iniciais do acervo – primeiro contato entre objeto litúrgico e espaço museográfico. Além dos elementos relacionados à leitura e à transmissão do conhecimento, como os missais e suas estantes, há ainda objetos e paramentos que criam a atmosfera adequada para a recepção da palavra, oferecida como guia para iluminar a vida.

Contíguo à sala Liturgia da Palavra, o antigo porão da casa abriga a sala Eucaristia e Páscoa, na qual é feito, com delicadeza e decoro, um convite ao contato com os sentimentos inspirados pelo mais importante sacramento, a Eucaristia, que encerra o mistério da presença de Cristo, e pelo principal ciclo litúrgico, a Páscoa, símbolo da ressurreição. Neste ambiente, a luz é não apenas elemento ornamental, mas instrumento de transformação capaz de induzir à ação, à criação e à recriação do mundo, das coisas e de si mesmo. Entre os objetos dispostos, destacam-se candelabros, serpentinas, castiçais e tocheiros. Articulados com os móveis e o odor do incenso, eles remetem à união necessária para que os homens estabeleçam uma vida fraterna e plena.

Ao passar para o pavimento superior, o visitante passa do mistério e da atmosfera intimista das salas do pavimento térreo para o cotidiano da religiosidade católica.

No segundo pavimento, a sala Sacramentos e Sacramentais inaugura os espaços dedicados ao dia a dia da fé. Assim como Deus se fez homem para habitar entre nós, também o sagrado se traduz nos sete sacramentos e nos diversos sacramentais investidos no corpo e na alma do fiel, expressões da vivência cotidiana da devoção. Nesta sala, um terminal multimídia aprofunda os eixos temáticos do Museu por meio de documentos históricos, imagens, vídeos e fotos referentes a cada uma das peças do acervo.

As duas salas denominadas Devoção Popular são dedicadas às inúmeras celebrações religiosas de Tiradentes em que o eclesiástico se une à liberdade das manifestações coletivas. Imagens de procissão, ex-votos, diademas, cruzes, coroas e todos os objetos de devoção mariana e aos santos são feitos de promessas, esperança e gratidão. Uma instalação audiovisual apresenta os elementos da natureza na liturgia, como a água, o óleo, o fogo e as cinzas, encontrados nas mais diversas formas de expressão religiosa, dentro e fora do templo.

O último espaço do Museu é dedicado exclusivamente aos gestos litúrgicos, expostos em uma composição de telas em mosaico. Ambiente privilegiado para a introspecção e a transcendência, nesta sala o visitante pode contemplar o desenho traçado pelos movimentos de sacerdotes e fiéis em uma perspectiva intuitiva e poética, que lhe permite celebrar seus significados e também descobrir que a linguagem litúrgica não se esgota em palavras.

Uma música-percurso original acompanha o visitante através dos espaços expográficos, favorecendo a imersão no contexto litúrgico. Para concebê-la, seu autor, Marco Antonio Guimarães, inspirou-se, entre outros, na obra dos compositores barrocos Bach e Vivaldi e na tradição medieval do canto gregoriano.

O Museu da Liturgia é a tradução da fé expressa nas cidades históricas, nas suas igrejas, tradições e costumes. Vale a pena conhecer mais este atrativo com a D’Minas Turismo.

Fonte: Museu da Liturgia

Fotos: Jomar Braga – Museu da Liturgia

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: