Skip to content

Lagoa Dourada: parada obrigatória para quem gosta de um bom rocambole

17/07/2011

Para quem vai ou volta de Tiradentes ou São João del Rei pela BR 383 tem pelo caminho uma típica cidade de Minas Gerais que também tem vários atrativos para os visitantes. Esta cidade é Lagoa Dourada, uma cidade histórica localizada no Campo das Vertentes que consegue remeter seu visitante à arte e arquitetura barroca através de seus casarões, fazendas e igrejas, mas que é reconhecida pela tradicional culinária local, principalmente pelo seu delicioso Rocambole

As riquezas naturais de Lagoa Dourada se constituem como um grande atrativo turístico da região. As belas paisagens do cerrado proporcionam passeios magníficos através de caminhos adjacentes à Estrada Real, apresentando mirantes com vistas de 360°. Há, ainda, trilhas que remontam ao tempo das tribos indígenas dos Cataguases, com vestígios de suas aldeias, antes próximas à área da cidade. Por fim, outro reduto ecológico para turistas é o Lago do Tanque Grande, que fica próximo ao caminho indígena e apresenta origens vulcânicas. A região também possibilita a prática de esportes de aventura.

Na culinária a região é forte na produção de licores, vinhos e doces caseiros, mas o grande destaque é o tradicional rocambole, sendo que o da região é reconhecido nacionalmente. Os recheios de vários sabores são convidativos a degustação.

O artesanato é outro atrativo e um grande traço cultural da região, com destaque para a produção de bonecos de linhagem em tamanho natural, para os bordados, tricô, crochê, esculturas e pinturas de madeira.

Como toda cidade histórica, a religiosidade é um dos traços marcantes de Lagoa Dourada. A Igreja Matriz de Santo Antônio e a Igreja do Senhor Bom Jesus, possuem um grande acervo de imagens, sendo importante ressaltar desta última os painéis com os passos da Via Sacra.

Lagoa Dourada: igrejas também compõem cenário da cidade

Lagoa Dourada: igrejas também compõem cenário da cidade

As igrejas da cidade ainda guardam mais uma curiosidade para os visitantes, um escultor misterioso que deixou pela região vestígios de sua genialidade. O escultor foi batizado de Mestre de Lagoa Dourada e os pesquisadores não conhecem seu rosto, nome e origem, sabem apenas que viveu entre o fim do século XVII e o início do XVIII. O artista deixou um grande número de imagens em cedro feitas para igrejas e capelas da cidade, mas deixou obras também em Prados, São João del Rei, Tiradentes, Congonhas e Ouro Branco. Foram encontrados documentos que comprovam a presença dele na antiga Capitania de Minas, caso de um inventário, de 1738, dos bens da Paróquia de Santo Antônio, em Lagoa Dourada. Do documento consta o registro de uma Santana Mestra com as características das demais imagens atribuídas ao mestre que foi recentemente descoberto. A Igreja de Santo Antônio, em Lagoa Dourada, foi construída em 1850, mas guarda o acervo pertencente à antiga matriz, de 1734, já demolida, e de outros templos barrocos que existiam na cidade. Nos altares e na sacristia ficaram peças que atravessaram os tempos sem autoria definida e que agora estão sendo pesquisadas. Depois de mais de um ano de estudos, os foram identificados traços comuns entre as imagens de Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora da Lapa, São João Evangelista, Santo Apóstolo, Santana Mestra e outras do município e vizinhanças. E os restauradores chegaram à conclusão de que tudo saiu das mãos de um mesmo escultor, dono de obra de qualidade e estilo livre de influências.

Entre as características que diferem as esculturas de outros autores da época estão orelhas bem definidas e muito estilizadas; ombros largos e posturas rígidas; panejamento (vestes) com drapeados verticais rígidos e pouco naturais, com as bordas dos mantos em caimento do tecico sobreposto; rostos de expressão ingênua; olhos em curva, proeminentes; e boca entreaberta com os dentes à mostra.

O escultor foi batizado de Mestre de Lagoa Dourada porque a cidade abriga metade das peças das mais de 20 que foram encontradas até agora com essas características. Mas ainda não se sabe se ele era mineiro, paulista a serviço na capitania ou português que veio para o Brasil. Uma das chaves para maior entendimento da história, que surpreende e intriga, é a imagem mais antiga da matriz, a Nossa Senhora esculpida em terracota. O barro usada para esculpi-la era muito usado pelos santeiros paulistas,o que pode significar que o Mestre a fez aqui ou tenha se espelhado nos seus traços para desenvolver a sua arte.

Mais uma cidade que merece a sua visita e a sua descoberta. Conheça Minas Gerais

Fonte: Guia MinasTur e Wikipédia

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: