Skip to content

Parque do Itacolomi é atrativo de natureza próximo a Ouro Preto

01/11/2010

O Parque Estadual do Itacolomi, localizado entre os municípios de Mariana e Ouro Preto, na região sudeste de Minas Gerais, a 100 quilômetros da Capital. A unidade de conservação abriga o Pico do Itacolomi, com 1.772 metros de altitude e era ponto de referência para os antigos viajantes da Estrada Real que o chamava de “Farol dos Bandeirantes”. A palavra Itacolomi vem da língua tupi e significa “pedra menina”. Os índios viam o pico como o “filhote” da montanha ou “pedra mãe”.

 

Pico do Itacolomi: destaque na paisagem de Ouro Preto

Pico do Itacolomi: destaque na paisagem de Ouro Preto

 

Patrimônio Natural

O Parque possui uma área de 7.543 hectares de matas onde predominam as quaresmeiras e candeias ao longo dos rios e córregos. Nas partes mais elevadas, aparecem os campos de altitude com afloramentos rochosos, onde se destacam as gramíneas e canelas de emas. Abriga muitas nascentes, escondidas nas matas, que deságuam, em sua maioria, no rio Gualaxo do Sul, afluente do rio Doce. Os mais importantes são os córregos do Manso, dos Prazeres, Domingos e do Benedito, o rio Acima e o ribeirão Belchior.

Diversas espécies de animais raros e ameaçados de extinção podem ser encontrados na unidade de conservação, como o lobo guará, a ave-pavó, a onça parda e o andorinhão de coleira (ave migratória). Também podem ser vistas espécies de macacos, micos, tatus, pacas, capivaras e gatos mouriscos. Levantamentos identificaram mais de 200 espécies de aves, como jacus, siriemas e beija-flores.

A vegetação também é outro destaque, com a presença de várias espécies endêmicas.

História pra contar

Pelo Parque Estadual do Itacolomi e por Ouro Preto passaram as expedições em busca do ouro das Gerais. O patrimônio está preservado, dando ao visitante uma real visão da paisagem contemplada pelos antigos viajantes destes caminhos.

No final do século 18, na busca por riquezas, o bandeirante paulista, Antônio Dias, avistou o Pico do Itacolomi, que serviu como ponto de referência, para que outras expedições chegassem ao local com facilidade.

No Parque, a Fazenda São José do Manso é um exemplar da arquitetura colonial deixado pelos bandeirantes em Minas. A Fazenda é tombada pelo IEPHA. Restaurada, a antiga sede da fazenda, a Casa do Bandeirista, é o Centro de Visitantes do Parque foi construída entre 1706 e 1708 e é uma das três amostras da arquitetura paulista em Minas Gerais, considerada por especialistas o primeiro prédio público do Estado, pois servia para cobrança de impostos e vigilância das minas. Foi tombada em 1998. A Fazenda do Manso foi um pólo produtor de chá na primeira metade do século 20. O Museu do Chá abriga o maquinário alemão usado no beneficiamento do chá colhido nas lavouras da fazenda.

Parque Itacolomi: trecho da estrada real

Parque Itacolomi: trecho da estrada real

Outra atração é a Capela de São José que possui uma Via-Sacra diferente, feita por artistas plásticas ouropretanas que utilizaram materiais colhidos na natureza para sua confecção. Também merecem destaque a Fazenda do Cibrão e as ruínas da Casa de Pedra. A Chácara dos Cintra é outra atração com suas ruínas e um grande portal em pedra sabão.

Infra-estrutura

A sede administrativa do Parque fica na fazenda São José do Manso, local que abrigou, na década de 1930, uma fábrica de chá. Hoje, o Parque possui uma completa infra-estrutura para atender visitantes e pesquisadores com Centro de Visitantes, biblioteca, alojamentos para pesquisadores e funcionários. Algumas das edificações do Parque passaram por recente reforma e novas instalações melhoraram ainda mais a infra-estrutura de apoio a visitantes e pesquisadores. As obras foram realizadas com recursos do Projeto de Proteção da Mata Atlântica de Minas Gerais (Promata/MG).

Visitação

A visitação é diária. O Parque foi criado em 1967 e reaberto à visitação em 2004.

Dica D’Minas Turismo

Como opção de roteiros casados de natureza e aventura e histórico e cultural, a D’Minas Turismo integra roteiros que unem as cidades de Ouro Preto, Mariana e o Pico do Itacolomi, além de outras cidades como Lavras Novas.

Consulte-nos e conheça o melhor de Minas.

Fonte: Instituto Estadual de Floresta e Serra do Espinhaço

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. Cleverson Ferreira de Oliveira permalink
    05/01/2011 10:04 pm

    Boa tarde! Quero saber mais sobre a Fazenda São José do Manso, se possivel mandar algumas fotos da fazenda e do parque.

    Obrigado, tenham uma boa tarde.

    • dminasturismo permalink*
      11/01/2011 1:29 am

      Olá Cleverson,

      Na área da fazenda que hoje é ponto de apoio de estudiosos e visitante é possível conhecer os seguintes atrativos:

      ● Casa Bandeirista: sede da antiga Fazenda São José do Manso, a Casa bandeirista foi construída em 1706, para cobrança do quinto, vigilância e defesa das minas de Ouro Preto, tendo sido, possivelmente, a primeira edificação pública de Minas Gerais. A casa, ainda, é a mesma dos tempos coloniais. Grossas paredes e alicerces de pedra, tendo uma varanda à entrada. Hoje reassume seu caráter de edifício público onde os visitantes e pesquisadores podem se informar sobre as riquezas do Parque e melhor conhecer sobre a história e cultura de Minas Gerais. Por sua importância histórica, a sede da Fazenda do Manso teve seu tombamento homologado em agosto de 1998.

      ● Museu do Chá: em Ouro Preto houve cultura do chá (thea sinensis) durante a primeira metade do séc. XX. O município preenche os requisitos técnicos para o desenvolvimento do chá, em função de sua altitude e regime pluviométrico. O chá Edelweiss era de excelente qualidade e parte da produção exportada para a Alemanha. A máquina de enrolar, a máquina quebra-bola, a estufa e a peneira classificadora podem ser visitadas no Museu do Chá.

      ● Capela São José do Manso: construída em data desconhecida, abriga imagens de artistas ouro-pretanos.

      Mais fotos do parque indico o site http://www.asminasgerais.com.br/?item=ALBUM&codAlbum=141

      Obrigado pela sua visita e querendo conhecer o parque e as cidades históricas de Minas estamos a disposição.

      Um abraço,

      Equipe D’Minas

  2. Raimundo Lacerda permalink
    22/06/2011 2:48 am

    Senhores, por favor eu gostaria de saber sobre a fazenda cibrão e a fazenda da vargem.
    A quem pertencia por volta de 1780 época da inconfidência mineira, eram de plantações,
    criação de gado ou os dois.
    O que puderem me informar.

    Muito obrigado.
    Raimundo Lacerda 21/06/2011 (22.46)p.m

    • dminasturismo permalink*
      03/07/2011 3:25 am

      Olá Raimundo,

      Pergunta complicada, mas vamos contatar os moradores da região para tentar identificar.
      Um abraço,

      Equipe D’Minas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: