Skip to content

Igreja de São Francisco de Assis: uma das mais belas obras da arquitetura colonial mineira

29/05/2012

Numa das praças mais bonitas de São João del Rei ela está lá, imponente, encantando turistas e viajantes: a Igreja de São Francisco de Assis, um dos principais marcos da arquitetura colonial mineira. Emoldurada por palmeiras imperiais e cercada de jardins, com torres circulares de sinos e ornamentos esculpidos em pedra-sabão, a igreja é um dos mais belos atrativos oferecidos aos visitantes pelo circuito das cidades históricas de Minas Gerais.

A Matriz de São Francisco é uma das mais belas obras do período colonial mineiro

A Matriz de São Francisco é uma das mais belas obras do período colonial mineiro

Fundado pela Venerável Ordem Terceira de São Francisco de Assis este templo católico que teve sua construção iniciada em 1774, se destaca na paisagem, em meio a tantas belas igrejas presentes na cidade. No cemitério da Ordem Terceira, ao fundo da igreja, Tancredo Neves, presidente da República eleito, foi sepultado em 1985. Nascido em São João del Rei, ele era um dos integrantes da irmandade, fundada em 1749. Associações formadas por leigos, as ordens e irmandades tiveram um papel decisivo na formação de Minas Gerais, pois no período colonial estava proibida a presença do clero regular pela Coroa portuguesa. As ordens e irmandades desempenhavam diversas atividades religiosas e foram responsáveis pela construção de igrejas, como a de São Francisco. Tinham caráter assistencialista e de ajuda mútua entre os indivíduos que dela faziam parte denominados de irmãos.

No visual da cidade de São João del Rei ela está lá: exuberante

No visual da cidade de São João del Rei ela está lá: exuberante

E como tudo em Minas Gerais tem história com a construção desta linda obra não poderia ser diferente. Uma polêmica envolve a autoria do projeto da linda Igreja de São Francisco de Assis e com dois grandes artistas da época: Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho e Francisco de Lima Cerqueira. Aleijadinho é considerado autor do risco original, mais tarde modificado por Lima Cerqueira, designado mestre-de-obras do templo. Por carência de documentação a polêmica continua, mas baseado em análises estilísticas e comparativas, Lúcio Costa afirma que o projeto é seguramente de Aleijadinho, apresentando grande semelhança com o restante da obra.

A polêmica da autoria do projeto desta linda igreja é um aperitivo a mais para os visitantes

A polêmica da autoria do projeto desta linda igreja é um aperitivo a mais para os visitantes

A igreja também possibilita ao visitante ser testemunha de um dos atrativos da cidade de São João del Rei, a linguagem dos sinos. Os repiques dos sinos da Igreja de São Francisco de Assis fazem parte de uma rica tradição presente em poucas cidades históricas do Brasil. Uma experiência muito interessante para quem presencia.

Detalhes da Igreja

O partido arquitetônico segue a tendência curvilínea do estilo rococó. O corpo da nave experimenta ligeira ondulação convexa, e as torres cilíndricas recuam-se em relação ao plano da fachada, ricamente ornamentada.

A entrada principal da igreja de São Francisco apresenta, no alto, um acabamento com guirlandas de flores e cabeças de anjos, coroado por dois adornos em espiral sobre os quais se assentam os anjos. Na fachada, vê-se ainda um medalhão, com o escudo de Portugal, de um lado, e, de outro, uma composição com a cruz de são Francisco. Um terceiro medalhão mostra Nossa Senhora da Conceição em meio a guirlandas de flores e fitas. Duas grandes janelas laterais e uma abertura envidraçada completam a parte inferior do conjunto.

A obra de talha é marcada pela exuberância graciosa do rococó. Na capela-mor, a alternância de douramentos sobre o fundo branco dá maior densidade à talha, principalmente se comparado aos púlpitos e altares laterais, originalmente pintados de branco, hoje na cor natural da madeira.

O arco abatido que sustenta o coro representa obra de arrojo arquitetônico para época, realizada por Souza Lopes. No arco da porta principal existe uma interessante cabeça de Cristo esculpida.

Na parte superior, surge a figura de São Francisco, recebendo os estigmas de Cristo no monte Alverne, isto é, as cicatrizes deixadas em seu corpo pela crucificação, de acordo com a tradição religiosa. Em 1224, na região da Toscana, Itália, Francisco rezava fervorosamente quando Cristo apareceu em suas orações e deixou impressos em seu corpo os sagrados estigmas da Paixão.

Vale a pena conhecer esta linda obra do período colonial brasileiro

Vale a pena conhecer esta linda obra do período colonial brasileiro

No interior do templo, merecem destaque o conjunto de talhas da capela-mor (talhas são obras de arte feitas em madeira), os seis altares da nave e os púlpitos, apresentando nítida influência da escola de Aleijadinho. A capela-mor possui composição em relevo com representação da Santíssima Trindade, com as figuras do Pai, do Filho e do Espírito Santo em madeira policromada sobre nuvens e cabeças de anjos. Nas paredes laterais, telas representam a Santa Ceia e a Traição de Judas. Um dos púlpitos traz a cena da Anunciação e as figuras de são João e são Lucas, contendo inscrições com os nomes de cada um. No outro, estão representados o Padre Eterno e as figuras de são Mateus e são Marcos.

Com certeza em uma passagem por Minas Gerais a Igreja de São Francisco de Assis em São João del Rei deve fazer parte de todos os roteiros.

Fonte: Governo de Minas Gerais e Portal das Cidades Históricas e Portal das Cidades Históricas

About these ads
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: